Ronald Polito

Ronald Polito (1961) é poeta, tradutor e professor no Departamento de História da Universidade Federal de Ouro Preto (MG). É natural de Juiz de Fora (MG). Mestre em história social das ideias pela Universidade Federal Fluminense, foi também professor visitante do Departamento de Estudos Luso-Brasileiros da Tokyo University of Foreign Studies. Publicou os livros de poemas Solo (1996); Vaga (1997), Intervalos (1998); De passagem (2001) e Terminal (2006). Seu já extenso trabalho de tradução poética está bastante voltado para a poesia catalã, com seis traduções de poetas da Catalunha: de Joan Brossa, Poemas civis (7Letras, 1998), em parceria com Sérgio Alcides; 99 poemas (Annablume, 2009) e Sumário astral e outros poemas (Amauta Editorial, 2006). Traduziu ainda Quatorze, de Salvador Espriu (Travessa Editores, 2002); O porquê de todas as coisas, de Quim Monzó (Globo, 2004) e Desdesejo, de Narcís Comadira (Lamparina, 2005). Também traduziu Poemas, do mexicano Juan José Tablada (Fondo de Cultura Económica, Edusp, 2008), Ofélia ou do matrimônio visto como um estorvo, de Víctor Sosa (Lumme, 2009). Traduziu ainda o poeta de influência cubista e surrealista Pierre Reverdy, em parceria com o também poeta-tradutor Julio Castañon Guimarães (Edição dos tradutores, 1999), e 21 poemas, de Sylvia Plath, com Deisa Chamahum Chaves (Livre Impressão, 1994).  Organizou e traduziu a antologia 12 Poetas Catalães (Lumme, 2006).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *