Poesia traduzida no Brasil Catálogo

Poesia herege

Poesia herege

Categoria: Autor único

Título: Poesia herege

Autor: CARRIEGO, Evaristo (1883 - 1912)

Tradutor: Cláudio Cruz; Liliana Reales

Editora: Florianópolis: EdUFSC

Ano da 1ª edição: 2010

Nº de páginas: 72

Edição bilíngue: Não

Língua do original: Espanhol

Literatura do original: Argentina

Paratexto: Apresentação de Cláudio Cruz. Posfácio de Liliana Reales (Leitura de uma leitura de Borges).

Obs. sobre do autor: Carriego fixou-se na sociedade argentina como aquele que primeiro representou o que ficou conhecido como o arrabal portenho. E, por consequência, vinculou-se definitivamente a esse espaço, a toda uma exuberante mitologia, que tem no tango-canção, como se sabe, a sua mais completa tradução. Poeta por excelência do subúrbio portenho. No entanto, pouco se sabe dele e de sua obra em outros países latino-americanos, em especial no Brasil, onde, até hoje, não mereceu nenhuma tradução. Nascido na província de Entre Rios, em 1883, cedo Evaristo Carriego se deslocou para Buenos Aires, e aí desenvolveu sua curta carreira literária. Publicou em vida apenas um livro, Misas herejes, de 1908, vindo a morrer em 1912, com apenas 29 anos. Postumamente publicou-se mais uma coletânea de poemas, aquela intitulada La canción del barrio, além de uns poucos poemas soltos, meia dúzia de contos e duas peças de teatro, sendo que uma delas inconclusa. Merecia, portanto, ser traduzidos para o português, num momento em que as chamadas "vozes periféricas", cada vez mais, querem e se fazem ouvir. "Boêmios de rebeldes crias sarnosas, ladram alguns cachorros suas serenatas, que escutam, tranquilas e desdenhosas, desde aqueles altos telhados as gatas." (Fonte: site da Editora da UFSC).

Obs. sobre a obra: A obra traz 11 poemas de Carriego.

Saiba mais clicando aqui

Sua busca retornou 654 resultados.

Filtros

Pesquisa avançada - Limpar

Lista de resultados