Mário Faustino

Mário Faustino (1930-1962) nasceu em Teresina (PI). Faustino, diz Alfredo Bosi, foi um poeta que “antecipou e promoveu a experiência concreta” (BOSI, 2006, p. 474).  Em sua curta vida, finda aos 32 anos num desastre de avião, o poeta atuou como jornalista, crítico literário, professor e tradutor.  Depois de abandonar o curso de Direito, recebeu uma bolsa do Institute of International Education para estudar teoria literária e literatura norte-americana no Pomona College, Claremont, Estados Unidos, onde viveu de 1951 a 1953. Em 1955, publicou seu primeiro e único volume de poemas, O Homem e sua Hora. Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1956, quando trabalhou como editorialista do Jornal do Brasil (JB).  Os principais debates sobre o concretismo tiveram lugar na página Poesia-Experiência, criada por ele em 1956 no suplemento dominical do JB. Nela, Faustino publicou traduções de poemas de Horácio, Brecht, Dante, Villon, Shakespeare, Goethe, Rilke, Pound, Eliot, Cummings, Artaud, entre outros. Faustino aparece no levantamento de tradução poética entre 1960-2009 com Antologia poética de Ezra Pound (Serviço de Documentação, MEC, 1968), feita em parceria com os irmãos Campos, José Lino Grünewald e Décio Pignatari.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *